NOTÍCIAS


Julho, mês de conscientização do câncer de bexiga

O câncer de bexiga ocorre quando um tecido anormal se desenvolve no revestimento interno da bexiga, podendo em alguns casos, se infiltrar para musculatura do órgão.

O sintoma mais comum é o sangramento, que geralmente é indolor e deve motivar prontamente a ida ao médico.

Ao se diagnosticar esse tipo de tumor é preciso saber o grau de infiltração. O tipo mais comum é o Carcinoma Urotelial não músculo invasivo, ou seja, não invadiu a camada muscular. Quando as células cancerígenas se espalham para a musculatura da bexiga é denominado carcinoma musculoinvasivo.

Caso a doença tenha se espalhado para outros órgãos é denominado câncer avançado ou metastático.

Em sua maioria os tumores de bexiga são causados por exposição a substâncias cancerígenas, dentre elas a mais comum é o cigarro. Profissões onde os trabalhadores lidam com substâncias nocivas como corantes, têxteis, borrachas, tintas, plásticos, curtimento de couro, etc, tem seu risco aumentado.

O tratamento em fases iniciais consiste em remover as células tumorais com uma raspagem preservando a bexiga. Essa ressecção é feita usando uma técnica chamada Ressecção Transuretral do tumor de bexiga. Em alguns casos com risco maior de recorrência utiliza-se um medicamento chamado BCG instilado dentro da bexiga.

Em situações de alto risco em que há invasão de musculatura está indicada a cirurgia para retirada da bexiga devido ao risco de espalhamento da doença. Tal tratamento é denominado cistectomia radical.

No Brasil são estimados em 2022 7.590 casos novos em homens e 3.050 em mulheres e exige envolvimento de vários profissionais como oncologistas, urologistas, radio-oncologistas, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos e nutricionistas.

Escrito pelo Cirurgião Oncológico do Hospital de Câncer de MT e Cirurgião Geral MD-MSc Rafael Sodré de Aragão (CRM 6990/MT RQE 2794 RQE 5138)




26/07/2022 – Confresa FM

SEGUE A @CONFRESAFM

(66) 8427-4473


(66) 3564 – 1514
confresafm@hotmail.com
Confresa – MT

NO AR:
JORNAL PONTO A PONTO